10 janeiro 2012

Criações Diamantes Gould.

Como já anteriormente tinhamos referido, resolvemos fazer criações de Diamantes de Gould. Isto porque foi sempre uma ave que nos fascinou e também devido ao facto de as criações não coincidirem com as criações dos canários, logo existe tempo para darmos a devida atenção em ambos os casos.
E para criar, como é lógico, é necessário reprodutores. Logo tivemos que adquirir os mesmos. Compramos 2 casais ao "Sr." Bruno Sousa, amigo de infância e, que já há algum tempo cria Diamantes de Gould. Para além disto, o Bruno foi uma pessoa excepcional para connosco, já que para além da cedência de aves de grande qualidade, mostrou-se sempre disponível para nos orientar e partilhar conhecimentos de grande importância para a criação e manutenção do Diamante de Gould.
Agora, falando mesmo da criação, em Setembro, depois de tratadas as aves, juntamos os dois casais e colocamos os ninhos, passada uma semana, começaram a surgir ovos! As primeiras 3 posturas de cada casal foram chocadas pelos Bengalins e, destas mesmas temos já neste momento 20 aves novas separadas. De referir, que na fase de crescimento das novas aves existiram algumas baixas, mas poucas.
Desde sempre ouvimos relatos de que criar Diamantes de Gould directos era complicado, mas na quarta postura deixamos que fossem eles mesmos a fazer toda a criação. Um dos casais (clássicos), de 5 ovos nasceram 3 crias, uma das quais morreu, aparecendo já morta na grade (não sabemos se foram os pais que já a deitaram fora do ninho morta ou não). As outras 2 crias já se encontram fora do ninho.
No outro casal (peito branco), das 5 ovas nasceram 2 crias, as quais também já se encontram fora do ninho e para breve serão separadas dos progenitores.
De referir que não notámos qualquer diferença nas aves criadas pelos Bengalins, em relação às aves criadas directamente.
Já deixamos aqui algumas fotos das criações, num anterior post. Prometemos que brevemente colocaremos outras mais de todas as aves aqui relatadas.
A criação destas belas aves tem sido uma óptima experiência, ainda mais com resultados muito bons. Agora é esperar pela muda e ver a qualidade das aves, que julgamos ter alguns exemplares bons.
Em relação à muda e, sendo a primeira vez que passaremos por tal experiência, esperamos que não hajam baixas ou que sejam mínimas, já que é umas das fases mais críticas da vida do Diamante de Gould.
A ver vamos!
Um breve até já!

2 comentários:

  1. e um cardeal??? voces arranjam???

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde,
    Isso não. E os Goulds que tínhamos para venda já foram todos.
    Abraço e continue a visitar-nos.
    Carlos e Horácio Gonçalves

    ResponderExcluir